30/11/2019

Sobre a Reunião Sindical de Psicólogos Escolares na Casa Sindical do Porto - 29.11.2019

Estiveram presentes na reunião 6 Psicólogas Escolares e a Dirigente Sindical Sílvia Marques.

A reunião iniciou-se com a discussão sobre a última comunicação vinda a público sobre a homologação de requerimentos PREVPAP.



Seguidamente todas as presentes apresentaram-se e expuseram a sua situação laboral, identificando-se em todos os casos situações de precariedade (exemplos: uma psicóloga está contratada, através de oferta de escola, há 6 anos no mesmo Centro Qualifica de um Agrupamento de Escolas, tendo contudo estado ausente destas funções na janela temporal do concurso PREVPAP, não tendo portanto concorrido ao mesmo; psicóloga com processo PREVPAP homologado, não estando contudo a exercer funções atualmente num Agrupamento de Escolas e para o qual não quer regressar – é bolseira de investigação; psicóloga contratada pelo POCH).

Foram discutidas novas ações de luta e a efemeridade dos movimentos associativos informais, como por exemplo os grupos do facebook, e a necessidade de um planeamento estruturado e coeso.

Foi ainda pedido o contributo para um novo e atualizado caderno reivindicativo, tendo sido proposto o seguinte:
  • constituição da carreira de Psicólogo Escolar;
  • respeito pelo percurso formativo de cada Psicólogo Escolar, tendo em conta o momento temporal da obtenção do grau (Licenciatura pré-Bolonha vs. Mestrado Integrado);
  • habilitação para a docência;
  • fim da manutenção de contratos por fundos temporários e, por diversas vezes, a recebidos verdes (POCH, PIICIE);
  • não ao processo de descentralização/municipalização e à transferência da gestão dos trabalhadores não docentes para o município.
Uma das sugestões expressas foi também a marcação com antecedência de qualquer ação de luta de modo a que cada trabalhador se possa organizar para participar.

Estando conscientes que qualquer processo pode não agradar a todos os trabalhadores, na discussão levada a cabo, foi amplamente referida a falta de união entre psicólogos escolares e necessidade de mobilização para melhoria das condições de trabalho de todos estes profissionais. Um outro ponto de discussão prendeu-se com a organização do SNP e a sindicalização, referindo-se que mais sócios significam mais expressão e mais força.

A dirigente sindical comprometeu-se a enviar para os emails das trabalhadoras o caderno reivindicativo de 2014, aguardando por novas propostas que entretanto as mesmas possam elaborar.