06/05/2022

SNP em Beja, Lisboa e Porto, no 1.º de maio de 2022


No dia em que se completaram 40 anos após o 1º de maio de 1982, o SNP fez-se representar na rua, em três pontos no país: Beja, Lisboa e Porto.

As reivindicações das/os Psicólogas/os também não são novas e situam-se nos diversos quadrantes profissionais: Saúde, Educação, Organizações…, verificando-se constantes problemas e injustiças, muitas vezes facilmente resolvidos caso fossem aceites as soluções apresentadas por este Sindicato.

Assim, no Dia Internacional do Trabalhador, o SNP fez, mais uma vez, ouvir a sua voz exigindo:

- mais Psicólogos/as onde são necessários/as, concretizando-se uma distribuição equitativa pelo território nacional;

- a garantia da sua autonomia técnica e científica, acabando-se com a instrumentalização destes/as trabalhadores/as;

- uma avaliação justa e credível, com base em objetivos alinhados com as reais funções da/o profissional;

- a possibilidade de exercer a sua profissão sem entraves e em condições dignas, com uma remuneração justa.


Para que o SNP possa continuar a ter, não só visibilidade, como um forte impacto nas vidas dos/as Psicólogos/as, é necessária a regular mobilização de todos, através da sua participação em ações de rua, da sua sindicalização, em suma, da sua implicação plena num coletivo de trabalhadores/as unidos/as e em luta.

 

Junta-te ao teu Sindicato, o SNP! Mais juntos, mais fortes!


28/04/2022

No 1.º de Maio vamos sair à rua!

No Dia Internacional do Trabalhador vamos estar na rua, vamos fazer ouvir a nossa voz na Manifestação da CGTP-IN.
Por mais Psicólogos/as onde são necessários/as, pela garantia de autonomia técnica e científica, por uma avaliação justa, pela possibilidade de exercer a sua profissão sem entraves e em condições dignas!
Estaremos representados no Porto, Lisboa e Beja.

TODOS AO 1.º DE MAIO!! 

Em Lisboa, ponto de encontro às 14.30 do lado direito da praça do Martim Moniz à frente do centro comercial comercial Martim Moniz;

No Porto, o ponto de encontro é às 14h30 junto à Estação do Metro dos Aliados do lado direito, de quem está de frente para a Câmara Municipal.

Em Beja, ponto de encontro às 14H30 à frente da Casa da Cultura

A Direção do SNP



21/04/2022

Psicólogos precisam de soluções

O SNP reuniu com o Ministério da Saúde no passado dia 13 de Abril. Depois de várias solicitações de reunião que há anos realizamos, fomos agora convocados para uma reunião que contou com a presença da senhora ministra da saúde Marta Temido, bem como a restante equipa do Governo recentemente empossado.
O SNP trouxe à discussão aquilo que são as reivindicações há muito identificadas, desde a Revisão da Carreira dos psicólogos no SNS, a integração de todos os profissionais de psicologia na função pública e reabertura do processo de equiparação para técnico superior de saúde – ramos de psicologia clínica.
Avançámos ainda com a exigência do aumento do número de profissionais de psicologia no Serviço Nacional de Saúde, alcançando o rácio de, pelo menos 1 psicólogo para 5000 habitantes, bem como a emergência do aumento dos salários dos profissionais desta área em 90€.
A criação, nas unidades de saúde, do serviço de psicologia autônomo e dotado dos meios necessários ao exercício das suas funções e a situação na linha SNS24, foram matérias para as quais o SNP solicitou respostas.
Perante as reivindicações dos psicólogos, o Governo assumiu o compromisso de iniciar um processo negocial com o SNP com vista a discutir e encontrar as respostas que os psicólogos exigem.
O SNP apela a todos os psicólogos que se organizem e unam no seu sindicato, que continuem a fazer chegar os problemas com que estão confrontados e que se mobilizem para as ações de luta do SNP e da CGTP-IN, nomeadamente para o próximo 1º de Maio.
A Direção do SNP

26/02/2022

Órgãos Sociais para o biénio 2022/2024

No passado dia 21 foram eleitos os Órgãos Sociais para o biénio 2022/2024, cuja composição é a seguinte:

ASSEMBLEIA GERAL

  • Ana Rita Governo
  • Cláudia Sá
  • Vitor Hugo Silva
CONSELHO FISCAL
  • Bruno Ferreira
  • Ivo Serra
  • Marisa Torres
DIRECÇÃO NACIONAL
  • Ana Ribeiro
  • Áurea Canas
  • Carina Ferreira
  • Carolina Casaca
  • Fátima Estanque
  • João Freire
  • Luís Pinheiro
  • Marta Almeida
  • Sandra Vargas
  • Sílvia Marques
  • Susana Silvestre

03/02/2022

Eleições para os Corpos Gerentes 2022-2024

De acordo com a convocatória da Assembleia Eleitoral publicada no jornal Diário de Notícias, no dia 21 de Dezembro de 2021, vão realizar-se eleições para os Corpos Gerentes do Sindicato Nacional dos Psicólogos, para o biénio 2022 – 2024, no dia 21 de fevereiro de 2022.

Ao sufrágio apresentou-se a lista A, cujo processo de candidatura foi entregue de acordo com o prescrito nos Estatutos do SNP.

O programa da referida lista pode ser consultado aqui: https://drive.google.com/file/d/1UYXZAXZE3LDclwfKlIfgQg_jV3yTZFfI/view?usp=sharing

Apelamos a todos os sócios para participarem nas eleições dos Corpos Gerentes, para que o SNP possa prosseguir a sua atividade com maior representatividade e dinamismo.

Lisboa, 3 de Fevereiro de 2022

O Presidente da Mesa da Assembleia-Geral do SNP

Vítor Hugo Ferreira Silva

Tomada de Posição face à recomendação da CNE “Perspetivar o futuro do Ensino Profissional”

No passado mês de dezembro, foi elaborado pela Comissão Nacional de Educação um documento com recomendações para o futuro do Ensino Profissional em Portugal, tendo o mesmo reportado seis áreas problemáticas, de entre as quais a “Orientação escolar e profissional”.

O SNP não se revê de todo no enquadramento dado a esta alegada “área problemática”, estando ao lado dos psicólogos e psicólogas que demonstraram já a sua indignação.

O texto apresentado revela não só desconhecimento do que é a psicologia e as condições de trabalho de um psicólogo escolar como também um desrespeito por estes trabalhadores. 

A título de exemplo, o SNP gostaria de mencionar os programas de desenvolvimento vocacional existentes um pouco por todo o país, realizados para e com crianças e jovens, não só aqueles que estão no 9º ano de escolaridade, alertando ainda que um processo deste tipo não pode ser avaliado por apenas uma tomada de decisão.

Apesar do parágrafo “Para esta situação tem igualmente contribuído um clima de condicionalismo e pressão sobre o exercício profissional dos psicólogos por parte das direções dos agrupamentos de escolas, o que fere com gravidade a sua imprescindível autonomia profissional, técnica e científica, influenciando critérios e práticas de orientação escolar e profissional.”, as conclusões do documento remetem para uma insinuação de que a culpa é do trabalhador face à manipulação a que pode estar sujeito pelos diretores de escola/agrupamentos, quando é o psicólogo que se encontra em situação de precaridade/ vulnerabilidade e de instrumentalização, pois cabe aos diretores decidir sobre a futura contratação e a distribuição de serviço, não existindo orientações claras nem monitorização  regular das direções a este nível. A solução mágica apontada, de forma mais uma vez encoberta, é a municipalização, algo que os psicólogos já referiram não estar de acordo, lutando desde há anos pelo retorno dos núcleos de supervisão, a ser tutelados pelo Ministério da Educação.

Se de facto existe “ineficácia” dos Serviços de Psicologia e Orientação, esta não se deve aos psicólogos, tendo o diagnóstico e as soluções sido elencados pelo SNP há anos, nomeadamente:

- A recuperação da carreira e abertura de concurso nacional para os psicólogos escolares, acabando definitivamente com os vínculos precários, as dificuldades na mobilidade, as contratações anuais e à mercê de cada agrupamento de escolas e as injustiças no reposicionamento remuneratório;

- O fim da dependência de planos e projetos comunitários, que só promovem a precariedade e criam procedimentos burocráticos desnecessários;

- O aumento do rácio psicólogo/aluno de forma justa e equitativa pelo território nacional;

- Uma efetiva regulação que garante a autonomia técnica e científica dos psicólogos escolares, tutelada a nível central e não entregue a autarquias através da municipalização dos serviços técnicos das escolas.

 

A Direção do SNP

20/11/2021