18/06/2021

COMUNICADO: Processo negocial Revisão do Acordo de Empresa com SCML


COMUNICADO

Processo negocial
Revisão do Acordo de Empresa com SCML

Os sindicatos apresentaram nos termos da Lei uma proposta de revisão do acordo de empresa, da qual constam alterações ao clausulado e às tabelas salariais.
Decorrido o prazo legal para a SCML apresentar uma contraproposta negocial, a mesma nada apresentou, mesmo depois de informar que tinha disponibilidade para negociar com os Sindicatos.
Ora, esta atuação da SCML revela desconsideração pelos Sindicatos e seus trabalhadores e o que se pretende é o início do processo negocial que melhore as condições de trabalho e as relações laborais na instituição, já que só é possível à Santa Casa cumprir a sua missão com trabalhadores reconhecidos e valorizados.
Os Sindicatos têm, desde sempre, demonstrado disponibilidade para contribuir para serem
encontradas soluções harmonizadoras entre as partes. Os trabalhadores durante toda a crise
pandémica, que ainda continuamos a viver, mantiveram-se cumpridores e não hesitaram em
manter-se na linha da frente e continuar a prestar apoio aos mais vulneráveis.
Contudo, parece que os decisores da SCML não estão interessados em valorizar todo esse esforço e empenho, veja-se o processo de progressões de 2019 até 2021, dos quais nada se sabe, nem quanto à avaliação, muito menos quanto ao direito à progressão!!
É, por isso, que a Comissão Negociadora Sindical, notificou a SCML que de acordo com a lei irá requerer a conciliação junto do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.
É tempo de SCML não continuar a ignorar os Sindicatos e a agir como se se tratasse de um
conselho de administração de uma empresa multinacional, sem responsabilidades sociais e
cumprimento dos seus fins no setor social, deixando para trás os seus trabalhadores e a melhoria das suas condições de trabalho, depois de, por exemplo, ter imposto a realização de turnos de 48h ou mais horas, de forma a poderem dar resposta às necessidades existentes!
A SCML antes de tudo, é tutelada pelo MTSSS e no essencial é uma instituição de utilidade pública que contribui para a melhoria do bem-estar das pessoas, prioritariamente, dos mais
desprotegidos.
Os Sindicatos mantiveram a sua postura, mesmo com o reconhecimento do contexto pandémico em que vivemos, e em particular, pela circunstância da intervenção da SCML no município de Lisboa, mas BASTA!!!
Face a esta postura da SCML, não deixaremos de discutir com os trabalhadores formas de luta que levam à concretização dos seus direitos.

Lisboa, 17 de junho de 2021
Pelos sindicatos outorgantes
A Comissão Negociadora Sindical